Organização do Trabalho Pedagógico Escolar
Órgãos Colegiados da Escola
Registro de Classe On-line Serviços Públicos de Apoio Escolar Fale Conosco

Quantidade de Páginas visitadas




Literatura Solidária - Encontro dia 27/10/2010
Literatura Solidária


Literatura Solidária - Encontro dia 27/10/2010  
Outra iniciativa realizada pelo Colégio Estadual Eron Domingues através do Viva Escola foi o projeto de Literatura Solidária – Língua Portuguesa – intitulada “ Memórias literárias. Quem lê aprende, quem conta nunca esquece”. Elaborado e ainda em execução pela profª Vera Pagnussatti, visa promover momentos de contação de histórias, entretenimento, lazer, desenvolvendo concomitantemente a expressão oral e corporal, entonação, fluência e desenvoltura, bem como resgatar através da oralidade, “ histórias adormecidas” e ou memórias, dos espectadores, socializa-los e por último registra-los e organizá-los em forma de livro. Os alunos tem ouvidos e registrado histórias contadas por idosos do Asilo Lar Rosas Unidas. São esses relatos que serão transformados em texto para um livro.

Dia 28/10/2010 - Os alunos que participam do projeto foram acompanhados pela profª Vera P. executora do projeto, prof. José Ediane e profª Elaine R. Onde os alunos levaram violão e cantaram junto com os idosos. Com a participação do Prof. José Ediane (no violão), aproximadamente duas horas de canto e o violão. Próxima semana os alunos irão continuar o projeto ..... teremos mais informações. 

Veja as clicando na imagem abaixo







Literatura Solidária
Veja as fotos do projeto
Justificativas

A presente proposta e sobre o conteúdo de Literatura a ser explorado no Projeto Viva Escola justifica-se por ser este de relevância no contexto sócio educacional, visto que a “literatura, como produção humana, está intrinsicamente ligada à vida social” (DCE). A literatura é vista ainda como uma arte que transforma e humaniza o homem e consequentemente a sociedade, pois permite através de seus textos a fuga da realidade, atua como instrumento de educação bem como cumpre a função social que é a forma como a literatura retrata os diversos segmentos da sociedade.
Por ser uma oportunidade especial de conhecer diferentes gêneros textuais, com ênfase nos literários (narrativos e poéticos) primeiramente entre os participantes da referida proposta e posteriormente socializá-los com demais segmentos da sociedade, como creches, escolas e asilo, salientando que o texto literário permite múltiplas interpretações e é na sua recepção que ele significa.
Por ser uma uma modalidade que possibilita a buscar, além do período normal de aulas, conhecer, selecionar e aprofundar o estudo sobre alguns autores específicos e suas respectivas obras ou textos, e a partir destes selecionar algumas peças ou textos para serem contados ou encenados, adequando-as conforme a idade e série e ou maturidades dos envolvidos, propiciando momentos de contação de histórias, entretenimento, lazer, desenvolvendo concomitantemente a expressão oral e corporal, entonação, fluência e desenvoltura de acordo com Método Recepcional. Outro tópico de igual importância é resgatar através da oralidade,” histórias adormecidas” e ou memórias, dos espectadores, socializá-las e por último registrá-las e organizá-las em forma de livro (no caso com os idosos), oportunizando assim momentos significativos de troca de experiências e de valorização social de pessoas que contribuíram com a história do passado. E por último a forma como o projeto será desenvolvido possibilitará um amplo trabalho de leitura, oralidade, registro das produções e reescrita dos textos (análise lingüística) cumprindo assim com os objetivos da disciplina de língua portuguesa, além do letramento literário.


Conteúdos
Como conteúdo estruturante “O discurso enquanto prática social” concretizado através das práticas discursivas da leitura, oralidade, escrita e análise lingüística, de acordo com as Diretrizes Curriculares da Escola Pública do Estado do Paraná. As atividades integrantes da proposta, nas três modalidades, serão de diversas leituras de diferentes gêneros textuais, seleção de textos evidenciando o conteúdo temático, finalidade do texto, informatividade, discurso ideológico, polissemia, sentido conotativo e denotativo, interlocutores etc., Na leitura oral, dos textos selecionados entre os participantes, serão observando os aspectos como a entonação de voz, cuidados com a pontuação, fluência conteúdo temático, finalidade, intencionalidades, expressões faciais, turnos de fala, intertextualidade, diferenças entre o discurso oral e escrito. adequação da fala ao contexto. Na parte da produção e reescrita dos textos o cuidado com as marcas lingüísticas, coesão, clareza, concisão, coerência, paragrafação, ortografia, acentuação, concordância nominal e verbal, pontuação, intencionalidade dos textos, progressão referencial no texto, elementos composicionais do gênero, temporalidade, vozes presentes no texto, conectores, interlocutores etc.
Na Literatura, os textos literários (poema e narrativas) serão trabalhados em forma de oficinas, pautadas no Método Recepcional, método que valoriza o papel do leitor no processo literário seguindo os seguintes passos: determinar o horizonte de expectativa dos alunos, ou seja, detectar os valores, vivências pessoais, preferências e juízos introjetados em cada um, atendimento a essas expectativas, que é propiciar textos que sejam familiares aos envolvidos, num terceiro momento propor textos que rompam com o horizonte de expectativa, provocando desafios aos alunos e que a partir desta etapa o educando reflita e amplie o seu horizonte de expectativas comparando desde o inicio do processo até a etapa final tanto em relação à forma dos textos como a temática dos mesmos.


Objetivos
►Estimular a leitura e o conhecimento através de inúmeros textos literários, identificando os diferentes gêneros textuais e as especificidades de cada um e os recursos utilizados.
►Conhecer efetivamente o Método Recepcional e a suas especificidades de cada passo ou etapas na prática. Visando ampliar os horizontes de expectativas de cada envolvido
►Organizar os textos selecionados conforme o assunto mencionado e a idade adequada a serem contados, oportunizando a troca entre os pares.
►Adaptar textos para serem contados e dramatizados.
►Conhecer a vida e obras de diferentes autores.
►Propiciar momentos de troca de experiências, através de relatos de memórias, histórias, inventadas, causos, conversas informais entre outras pessoas, além da sala de aula.
►Identificar os elementos gramaticais, palavras e expressões que caracterizam o tempo passado e, imprescindíveis para o registro das histórias.
►Organizar coletânea de histórias reais ou fictícias e editá-las em forma de livros com o opoio de outros segmentos da sociedade.
►Participar de eventos, além sala de aula e estabelecimento de ensino, interagindo com outras pessoas em diferentes espaços e momentos.


Encaminhamentos Metodológicos 
Apresentação da proposta a ser trabalhada, ou seja, visualizar a sequência didática em que a mesma será organizada, para os participantes do programa Viva a Escola, salientando a importância do tema, forma de trabalho (metodologia, atrelando teoria e prática) o conteúdo estruturante e os básicos, o tempo destinado para cada oficina, e comprometimento de todos para conseguir os resultados esperados.
1- Conhecer de perto o acervo bibliográfico da biblioteca do Colégio em relação a obras literárias e autores. Selecionar alguns exemplares para o inicio dos trabalhos iniciando pelo gênero poemas.
2- Leituras de poemas individuais, sensibilização. Oficinas de poesia: Resgate de versos. Ouvindo poemas. Urna poética. Ampliando poemas. Reduzindo poemas. Produzindo poemas com sons semelhantes. Ilustrando poemas. Produzindo poesias com um tema específico. Como criar rimas, Poemas concretos. Poemas narrativos e dissertativos. Varal de poesia. Como declamar poesias. Encenar poemas. Discussão coletiva sobre as idéias e assuntos veiculados pelos poemas. Estrutura dos textos poéticos. Confrontando poemas em relação ao conteúdo.
3- Oficina: Conhecendo autores. Rever os autores dos poemas trabalhados nas oficinas anteriores, buscar saber mais sobre os mesmos. Selecionar alguns. Apresentar a vida dos mesmos em forma de oficina organizada pelos participantes. Socialização com as demais turmas do colégio através de apresentações orais e exposição de murais. Escrever para autores em forma de entrevista, cartas, comentários através de e-mail, Correio, Fax. Conhecer poetas da região, pessoalmente ou via meios de comunicação. Registro dos trabalhos.
4- Oficinas voltadas à cultura literária ficcional e a recriação da realidade. Leituras de diferentes gêneros narrativos: (histórias de mistério, amor, ficção, terror, comédias, dramas, policiais, suspense, histórias do cotidiano, contos, crônicas literárias, fábulas, fábulas contemporâneas, lendas, contos de fadas, biografias, autobiografias, etc. Identificando as especificidades de cada um, as intencionalidades, as esferas sociais de circulação e os possíveis leitores de cada tipologia. Seleção de textos conforme o tema trabalhado e seleção conforme a faixa etária dos leitores. Socialização dos textos através da oralidade. Técnicas de contação de histórias, conforme bibliografias específicas e com o auxílio da Internet (laboratório de informática) e DVD, CD da TV Escola. Como transformar um texto narrativo em dramático, (noções de teatro). Técnicas e ensaios para futuras apresentações nas escolas, creches e asilo.
5- Socialização das histórias (contadas) nos espaços fora da escola. Momentos de troca de experiências no asilo. Registro dos relatos de “memórias” dos idosos, primeiramente de “causos” do passado e posteriormente de suas histórias vividas, de suas expectativas, sonhos, fantasias (documentação e memorização), etc. Os relatos deverão ser gravados num primeiro momento, para na sequência serem registrados, em oficina específica, analisando a linguagem usada pelos relatores, o foco narrativo, e demais itens pertinentes a escrita de textos.
6- Organização das coletâneas em forma de livros, tanto dos textos criados pelos alunos do Projeto como as produções das “memórias” dos colaboradores. O trabalho de reescrita será opcional: alguns individualmente, em duplas, e coletivamente.
7- Momento de interação e integração social entre todos os participantes do Projeto. Socialização dos resultados com a apresentação dos trabalhos realizados, através de fotos, filmagens, e o produto final: o livro. O evento será denominado “Memórias literárias”. Quem lê aprende, quem conta nunca esquece.

Obs. A duração de cada oficina dependerá do interesse e envolvimento dos alunos pelas atividades de cada etapa, podendo as mesmas ser ampliadas ou reduzidas. Os resultados serão socializados com os demais alunos e comunidade escolar sempre da conclusão de uma etapa, ou quando solicitado por parte da Equipe pedagógica.

Infraestrutura:
►Biblioteca do Colégio.
►Sala de aula.
►Laboratório de informática.
►TV multimídia.
►CD - histórias contadas
►DVD - aparelho de som
►Livros de poesias,
►Livros diversos de contos e crônicas.
►Livros de histórias de ficção, fábulas, contos de fadas, lendas,
►Material da Olimpíada de Língua Portuguesa.
►Revistas: Escola, Na ponta do Lápis.
►Pastas individuais para a organização dos trabalhos, e sequência das oficinas.
►Folhas de sulfite, cartolinas, giz, tinta, lápis de cor. , cola, tesouras, fita crepe, EVA, Materiais descartáveis para a reescrita de textos, para cenários etc.

Resultados Esperados 
Espera-se que os alunos envolvidos no Projeto interessem-se efetivamente pela leitura por prazer, com um olhar único, inovador, de emoção, de busca e de construção do seu conhecimento. Que percebam que a poesia vai além das palavras registradas. Que o poeta trabalha a linguagem de maneira diferente, explorando emoções, musicalidade, ritmo, imagens, através de recursos específicos.
Espera-se que por meio das leituras de textos literário o aluno aprofunde a capacidade de pensamento crítico e a sensibilidade estética, bem como amplie o entendimento do texto, seus sentidos, e suas intenções explícitas e implícitas.
Que empregue a língua oral em diferentes situações de uso e que saiba adequá-la a cada contexto e interlocutores. Que perceba as diferenças entre a oralidade e a escrita e que consiga registrá-la de forma coerente de acordo com os contextos sociais, apropriando-se assim da norma padrão.
Que analise os textos produzidos, ouvidos ou lidos ampliando seu conhecimento lingüístico-discursivo. Que perceba que a linguagem é condição de interação e socialização entre as pessoas em diferentes práticas sociais.

Critérios de Participação
Num primeiro momento, todos os alunos serão convidados. Caso haja uma procura maior que o número de vagas a serem preenchidas, dar-se-á prioridade para aqueles que tenham disponibilidade em comparecer no contra-turno, para alunos repetentes; que tenham dificuldades de integração (tímidos); que possuem dificuldades na oralidade, que tenham algum tipo de carência.

LITERATURA SOLIDÁRIA- LÍNGUA PORTUGUESA. “MEMÓRIAS LITERÁRIAS”. QUEM LÊ APRENDE, QUEM CONTA NUNCA ESQUECE.
O Projeto Viva a Escola, elaborado e em execução pela professora Vera Beatriz Hoff Pagnussatti, na Disciplina de Língua Portuguesa - Literatura justifica-se por ser este de relevância no contexto sócio educacional, visto que a “literatura, como produção humana, está intrinsecamente ligada à vida social”. A literatura é vista ainda como uma arte que transforma e humaniza o homem e consequentemente a sociedade, pois permite através de seus textos a fuga da realidade, atua como instrumento de educação bem como cumpre a função social que é a forma como a literatura retrata os diversos segmentos da sociedade.
Por ser uma oportunidade especial de conhecer diferentes gêneros textuais, com ênfase nos literários (narrativos e poéticos) primeiramente entre os participantes da referida proposta e posteriormente socializá-los com demais segmentos da sociedade, como creches, escolas e asilo.
Por ser uma modalidade, em contra-turno, que possibilita, além do período normal de aulas, buscar conhecer, selecionar e aprofundar o estudo sobre alguns autores específicos e suas respectivas obras ou textos, e a partir destes selecionar algumas peças ou textos para serem contados ou encenados, adequando-as conforme a idade e série e ou maturidades dos envolvidos.
O objetivo do referido trabalho, além dos já citados é propiciar momentos de contação de histórias, entretenimento, lazer, desenvolvendo concomitantemente a expressão oral e corporal, entonação, fluência e desenvoltura, bem como resgatar através da oralidade, “histórias adormecidas” e ou memórias, dos espectadores, socializá-las e por último registrá-las e organizá-las em forma de livro (no caso com os idosos), oportunizando assim momentos significativos de troca de experiências e de valorização social de pessoas que contribuíram com a história do passado.
A forma como o projeto está sendo desenvolvido possibilita um amplo trabalho de leitura, oralidade, registro das produções e reescrita dos textos (análise lingüística) cumprindo assim com os objetivos da disciplina de língua portuguesa, além do letramento literário, tendo como conteúdo estruturante “O discurso enquanto prática social”
Os trabalhos, em sala e fora desta, do referido Programa, são organizados em forma de oficinas, todas as quartas-feiras, das 14 horas às 17he 30minutos com alunos das oitavas séries do Ensino Fundamental e do Ensino Médio totalizando 20 participantes.
Até o mês de agosto as atividades foram executadas no próprio Colégio Estadual Eron Domingues, a partir de setembro algumas oficinas serão realizadas no Asilo Lar Rosas Unidas. Num primeiro momento os alunos envolvidos terão a oportunidade de vivenciar momentos de troca de experiências, através de relatos de memórias, histórias, inventadas, causos e conversas informais. Posteriormente os mesmos organizarão as coletâneas de histórias reais ou fictícias e editarão as mesmas em forma de livro com o opoio de outros segmentos da sociedade.
Os alunos terão a oportunidade de participar de eventos, além sala de aula e estabelecimento de ensino, interagindo assim com outras pessoas em diferentes espaços e momentos. Momentos estes de interação e integração social entre todos os participantes do Projeto, socialização dos resultados com a apresentação dos trabalhos realizados, através de fotos, filmagens, e o produto final: o livro. O evento será denominado “Memórias literárias”. Quem lê aprende, quem conta nunca esquece.

Espera-se que os alunos envolvidos no Projeto interessem-se efetivamente pela leitura por prazer, com um olhar único, inovador, de emoção, de busca e de construção do seu conhecimento. Que percebam que a poesia vai além das palavras registradas. Que o poeta trabalha a linguagem de maneira diferente, explorando emoções, musicalidade, ritmo, imagens, através de recursos específicos.
Espera-se que por meio das leituras de textos literário o aluno aprofunde a capacidade de pensamento crítico e a sensibilidade estética, bem como amplie o entendimento do texto, seus sentidos, e suas intenções explícitas e implícitas.
Que empregue a língua oral em diferentes situações de uso e que saiba adequá-la a cada contexto e interlocutores. Que perceba as diferenças entre a oralidade e a escrita e que consiga registrá-la de forma coerente de acordo com os contextos sociais, apropriando-se assim da norma padrão. Que analise os textos produzidos, ouvidos ou lidos ampliando seu conhecimento lingüístico-discursivo. Que perceba que a linguagem é condição de interação e socialização entre as pessoas em diferentes práticas sociais.

Poema individual
Quero manter-te

Quero a paz que não é minha
Quero entender as entrelinhas
Aquela pureza já escassa.
Quero sorriso mais puro, de criança
Quero sentir a simplicidade
Quero saber o que é felicidade.
Quero viver em lugar mágico
Quero ser sincera, não amável
Quero ter certeza, não apenas saber
Correr pelas galáxias, sentir o vento
Ultrapassar as fronteiras.
Quero andar pelos vales,
Tocar os espinhos,
Colher os lírios e enxugar teu pranto
E assim manter-te intocado.

Julia Biasius


Poema em grupo
Viver Bem

Vive bem, quem encontra na música uma razão de existir
Quem expressa sua vida na melodia do bem querer
Vive bem, quem louva e agradece a Deus.
Vive bem, quem cai de cabeça, levanta e prossegue o caminho.
E não se importa com as aparências ou comentários mesquinhos.
Vive bem, quem ouve o som da alma, pois a sua história pode estar nela!
Vive bem, quem se dá bem com tudo e com todos, sem discriminação.
Quem ouve música de paz, e pode se “ver” através dela!
Vive bem, quem deixa de lado os preconceitos.
Fala o que tem vontade de falar, sem machucar.
Sabendo expressar o que tem dentro de si.
Viver bem é aproveitar cada minuto de sua vida da melhor forma possível!


Camila Regina Freitag, Samara E. S. Hernandes, Ayessa N. Moreira Fuzi e Jéssica N. Schemmer.


Ser ecológico é...

Preservar o meio ambiente
E Crescer com ele, de forma consciente.
Plantar árvores,
Plantar vida, frutificar o amor.
Fazer nascer um novo mundo.
Ser ecológico... é
Matar, apenas o ódio do homem
Não a esperança de viver
De forma saudável, sustentável
Ser ecológico.
É ser decente, independente
É cultivar o bem
É cuidar do mundo com sabedoria
Não só de vez em quando
Mas de forma permanente.


Barbara M., Henrique S., Fabio M., Jhonatan S., Leonilso S.
número equivalente entre meninos e meninas.
































Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito